16 de dez de 2010

nada é eterno .

4476884884_6089d67212_z_large
Debrucei-me no parapeito da janela e já estava prestes a dar o impulso, o qual seria meu ultimo esforço. As lembranças passavam em minha mente como um filme, mas não era qualquer filme. Um drama, ou suspense, sei lá, mas não era bom de ser lembrado.
Não valia a pena continuar nessa vida, mas do que nunca eu estava convicta da minha decisão.
A distancia até o chão era o suficiente para que eu nunca mais visse o raiar do Sol . Subi na sacada, abri os braços, respirei e fui arrebatada por uma força surpreendente.
A pessoa que mais me fizera sofrer não deixou eu terminar com essa dor, dizia que me amava e me abandonou grávida. E agora estava ali, fazendo milhões de juras de amor eterno, se dizendo arrependido. Mas como eu posso acreditar? Se nada é para sempre, nada dura eternamente.
Mas era a unica opção que me restava no momento. E foi o que eu fiz !

Meninas, o OUAT está de volta, participem da nossa 60ª edição !

4 comentários:

Andressa disse...

olá.. act parceria ?

http://apeenas.blogspot.com

Amanda ~~* disse...

Oi! Venho por meio dos comentário pedir para que participe do concurso: Happy End 2010.
O link é: http://primeiro-livro.blogspot.com/p/concurso-happy-end-2010.html
Contamos com sua participação!
Ah, e para os vencedores que ficarem em primeiro, segundo ou terceiro lugar, daremos prêmios! Vê lá se quer partipar? :D
E se não quiser... Me ajuda a divulgar?
Obrigada! E desculpe-me alguma coisa! =)

Vanessa disse...

Nada é eterno...nem o amor, nem o sofrimento! Desistir, se jogar por uma janela, no fundo nunca vai soar como uma boa decisão, né?
Gostei da intensidade do texto!

Lorena Campos disse...

Eu ameei muito esse blog,estou te seguindo,também tenhos lá os meus momentos poeticos..
http://thedifferentgirls.blogspot.com/

Postar um comentário